Feedipedia
Animal feed resources information system
Feedipedia
Feedipedia

Rogerio et al., 2009. Cien. Anim. Bras., 10 (2): 355-364

Document reference 
Rogerio, M. C. P. ; Borges, I. ; Rodriguez, B. M. ; Campos, W. E. ; Silva, V. L. ; Ribeiro, T. da P. ; Neiva, J. N. M., 2009. Dynamics of the ruminal fermentation in sheep feeding with ration containing different levels of cashew by-products (Anacardium occidentale). Cien. Anim. Bras., 10 (2): 355-364
Alternative title 

Dinamica da fermentacao ruminal em ovinos alimentados com racoes contendo diferentes niveis de coprodutos de caju (Anacardium occidentale)

Abstract 

This study was conducted to evaluate the inclusion of cashew byproducts ( Anacardium occidentale) on the ammonia nitrogen concentrations (N-NH 3), pH and volatile fatty acids concentrations (VFA) of the ruminal fluid in sheep that received diets containing the cited byproduct. 20 entire rams were distributed into 4 treatments with different levels of cashew byproduct inclusion (0, 19%, 38% and 52%) in a randomized block design, in a split-plot project, having in the parcels the diets and the subparcels the times of collection (0, 2, 5 and 8 h after feeding) with 5 replications. The pH was kept within the normal standards cited by the same literature in the raised cashew byproduct inclusions. Diets with 0 and 52% showed the highest concentrations of N-NH 3. The molar ratio of the AGV in the ruminal liquid in the diets with cashew byproduct was typical of rich diets. The ratio of acetate: propionate was unaffected by the inclusion of the cashew byproduct. The inclusion of the cashew byproduct up to 19% of the diet presented better results in terms of the parameters analysed in this study.

O presente estudo foi desenvolvido para avaliar a influência da inclusão de diferentes níveis do coproduto do processamento do caju (Anacardium occidentale L.) sobre a concentração de nitrogênio amoniacal (N-NH3) em mg/100 mL, pH e concentrações molares de ácidos graxos voláteis (AGVs) do líquido ruminal, em ovinos recebendo dietas experimentais isofibrosas e isoproteicas. Distribuíram-se vinte ovinos machos, inteiros em quatro tratamentos de inclusão do coproduto de caju (zero %; 19%; 38%; 52%), segundo delineamento em blocos ao acaso, em esquema de parcelas subdivididas, em que as parcelas eram as dietas e as subparcelas os tempos de colheita (zero, duas, cinco, oito horas pós-prandial) com cinco repetições. O pH manteve-se dentro dos padrões citados na literatura, mesmo diante de elevadas inclusões de coproduto de caju. Os tratamentos com zero % e 52% apresentaram as maiores concentrações de N-NH3. A proporção molar dos AGVs no líquido ruminal dos ovinos alimentados com rações com o coproduto de caju foi típica de dietas ricas em volumosos. A relação acetato:propionato não foi afetada pela inclusão do coderivado de caju. A inclusão do coproduto de caju em até 19 % na ração apresentou os melhores resultados no que diz respeito aos parâmetros analisados neste trabalho.

Citation key 
Rogerio et al., 2009
Document license